Estatuto Social

Presidente da CRB visita Haiti e articula liberação de recursos para emergências

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Missionários brasileiros foram à região de Jérémie, na península sudoeste do país, atingida pelo furacão Matthew

 Presidente da CRB visita Haiti e articula liberação de recursos para emergênciasOs missionários brasileiros no Haiti experimentaram uma visita de apoio e carinho em meio ao sofrimento que vivem junto ao povo atingido pela miséria e por desastres naturais. A presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), irmã Maria Inês Ribeiro, acompanhada da também religiosa irmã Ada Morelli, foi à região sudoeste do país no final de fevereiro. Ela conta o que presenciou e o esforço daqueles que buscam ajudar nas emergências e na recuperação da população local.

O Haiti foi atingido no ano passado pelo furacão Matthew, que devastou novamente o país afetado em 2010 por um terremoto. A Igreja no Brasil mantém, por meio de uma parceria entre a CRB e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), um projeto Missionário Intercongregacional de Solidariedade, atendendo os haitianos há sete anos. 

“Os nossos missionários brasileiros pensaram em fazer uma visita aos religiosos que estão na área atingida pelo furacão, o primeiro intuito foi esse: uma visita de apoio, carinho, que, com certeza eles experimentaram, porque o sofrimento foi muito grande junto ao povo”, conta irmã Maria Inês. 

Ela recorda, quando fala do sofrimento, de um frei capuchinho que quase morreu em consequência do furacão Matthew. O frade saiu da casa paroquial, possivelmente para buscar algum alimento no deposito para atender as pessoas que estavam na casa, “que foi menos atingida, apesar de descoberta”, ressalta. “Mas ele saiu para o galpão e o vento era fortíssimo e ele se agarrou [em algo] e quase foi levado, está vivo por milagre”, relata.

De acordo com a presidente da CRB, missionários quiseram partilhar, fazer presença, mas quando viram a situação do povo, pensaram em unir forças para atender a população mais marginalizada em regiões em que os carros oficiais não chegavam. “Os missionários brasileiros da capital Porto Príncipe foram com os carros até onde deu e seguiram com mantimentos, lonas para cobrir as casas, medicamentos, principalmente para curativos, ao encontro da população mais carente, mais sofrida após o furacão”, lembra.

Liberação de recursos

A Cáritas Internationalis mobilizou mais de 30 organizações da sua confederação ao redor do mundo para contribuir com a reconstrução do Haiti. O orçamento estimado para esta ajuda é de mais de 3 milhões de euros. Atualmente, as organizações Cáritas já arrecadaram um valor total de 2.139.932 de euros, dos quais 1.325.220 já foram transferidos ao país, segundo a entidade.

No Brasil, também foram arrecadados recursos em uma campanha SOS, atualmente no total de 600 mil reais. O planejamento para a utilização desses valores era a aplicação no “pós-furacão”, pois no momento seguinte à tragédia, muitas organizações que atendem a população com água, alimento, entre outras necessidades, retiram-se para outras iniciativas. A Campanha SOS Haiti continua, saiba como participar.

Nesta situação, os missionários solicitaram liberação dos recursos para atender às urgências mais gritantes. Irmã Maria Inês conta que com os valores que chegaram inicialmente foi possível o atendimento de pessoas ainda machucadas, passando fome extrema, além de ações em casas descobertas e com pessoas que estavam dormindo debaixo das árvores. 

Logo após, foi feito, no âmbito das Cáritas diocesanas do Haiti, um plano de ação com participação da Cáritas da Espanha, para reconstrução, auxílio na parte de agricultura e reconstrução de casas.

As ajudas têm o foco nos esforços de recuperação mais sustentáveis. Com o auxílio da Cáritas Brasileira e demais organizações, a Caritas Haiti pretende contribuir para a recuperação de 6.550 famílias (31.250 pessoas), as mais afetadas pelo furacão Matthew. As principais atividades são revitalização de atividades agrícolas, prevenção de doenças infecciosas, reparação e reconstrução de casas e proteção do ambiente natural.

A ideia é que nos próximos 6 meses, a união entre governo local, Cáritas Haiti e as Cáritas ao redor do mundo centre esforços na construção de 200 clínicas móveis, em reparos de abrigos e na compra e distribuição de 1.560 caprinos.

Nova missionária

 Presidente da CRB visita Haiti e articula liberação de recursos para emergênciasO projeto missionário intercongregacional no Haiti ganhará mais uma religiosa: irmã Edenice Maria da Silva, da Congregação da Instrução Cristã. Na última terça-feira, 21 de março, os membros do Conselho Permanente da CNBB participaram de celebração na qual foi feito o envio da missionária. A celebração foi presidida pelo bispo presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária, dom Esmeraldo Barreto de Farias.

Natural de Gravatá (PE), atualmente reside em Fortaleza (CE). A missionária é graduada em pedagogia, serviço social e, especializada, em planejamento e gestão escolar. Atuou na Pastoral Catequética, na infância missionária, no acompanhamento de jovens e casais e participou da "Rede Um Grito pela Vida”, da CRB.

Em Brasília, irmã Edenice participou no Centro Cultural Missionário (CCM), do curso preparatório para Missão Ad Gentes, com outros missionários do Brasil, com o objetivo de compreender as dimensões fundamentais da experiência missionária Solidariedade.

Irmã Edenice integra, naquele país, a comunidade Intercongregacional constituída por sete Congregações que atuam na Missão, alicerçada em dois grandes Eixos: Evangelização e Promoção Humana e Social. A missionária atuará no Haiti, a princípio, por três anos.

Com fotos da CRB Nacional e Luiz Lopes Jr/CNBB

Fonte: CNBB