Estatuto Social

Povos indígenas da Amazônia equatoriana dialogam com a Repam

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Puyo (RV) - Cerca de 130 indígenas, afro-equatorianos, missionários e missionárias se reuniram de 21 a23 de outubro no Centro de Pastoral Intipungo, em Puyo – Equador, para um grande diálogo promovido pela Rede Eclesial Pan-amazônica (REPAM) com os povos nativos na Amazônia local.

O encontro teve a participação do Cardeal Cláudio Hummes, presidente da REPAM e da Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB e bispos dos Vicariatos Apostólicos da Amazônia Equatoriana. O diálogo, em clima aberto e de mútua escuta, se mesclou com momentos de espiritualidade e troca de experiências, a partir de uma reconstrução histórica da missão eclesial na Amazônia.

O bispo de Puyo, Dom Rafael Cob, deu as boas-vindas a todos convidando a escutar a voz dos povos e Mauricio López, secretário executivo da REPAM, apresentou o projeto global do trabalho da Rede, que coordena os nove países amazônicos: Equador, Colômbia, Venezuela, Peru, Bolívia, Brasil, Guiana, Guiana Francesa e Suriname.

“Projetos de Vida” e “Modelo de Desenvolvimento” foram temas de mesas temáticas, com a apresentação de experiências práticas realizadas na área. Também houve lugar para uma festiva noite cultural com painéis de cada Vicariato.

No último dia, o Card. Hummes propôs uma reflexão sobre os elementos importantes na pauta de uma Igreja que quer ’um rosto amazônico’.   

O encontro se encerrou com uma celebração de envio realizada pelas nacionalidades kichwa, shuar, afro-equatorianos e agentes de pastoral. O comunicado final recorda que todos são enviados para levar a boa notícia aos povos e comunidades de onde provêm, como uma Igreja que defende a vida com rosto amazônico.

(P. Julio Caldeira/CM)

Fonte: Rádio Vaticano