Estatuto Social

Caritas Internacional: em conjunto com os luteranos

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Estocolmo (RV) - “Damos um passo importante no caminho da união quando trabalhamos em conjunto, em prol dos mais necessitados”.  Assim disse o Secretário-geral da Caritas Internacional, Michel Roy, ao firmar uma declaração de intenções com o Serviço Mundial da Federação Luterana, comprometendo-se a trabalhar em conjunto pela paz, justiça, refugiados, migrantes e desenvolvimento sustentável. A cerimônia foi realizada no último dia 31 de outubro como parte do evento ecumênico em Malmö, na Suécia. 

O documento assinado na presença do Papa Francisco e do presidente da Federação Mundial Luterana marcou o início do trabalho conjunto em defesa dos mais vulneráveis. O acordo é comum entre as duas igrejas que buscam a plena comunhão. Em seu pronunciamento, Michel Roy revelou que a Caritas Internacional já havia trabalhado em conjunto com o Serviço Mundial da Federação Luterana em situações emergentes. “Já havíamos nos encontrado, mas não de forma planejada. Desta vez, montamos uma estratégia com um mesmo testemunho cristão”, disse. 

Quais são os acordos desta declaração?

O objetivo do acordo é promover a ampliação do número de setores em defesa dos migrantes e refugiados. Nos locais onde há atuação da Federação Mundial Luterana, existe a possibilidade do aumento da cooperação com a Caritas local. Além disso, é também a intenção do acordo, promover a paz e a reconciliação a partir das diferentes experiências das duas Igrejas. A católica, por exemplo, tem contribuído muito, especialmente nas áreas mais afetadas pela guerra, através da Pastoral Social Caritas Colombiana. No âmbito internacional, já existe uma ligação com as Nações Unidas em Genebra e também em Nova York, mas a ideia é avançar ainda mais a partir da união das duas Igrejas, levando esta iniciativa às situações emergenciais para assim auxiliar na realização dos objetivos de desenvolvimento sustentável. (LV)

Fonte: Rádio Vaticano