Estatuto Social

Avalanche na Itália: 8 pessoas são encontradas com vida no hotel

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Pescara (RV) – Na manhã desta sexta-feira (20), oito pessoas foram retiradas com vida dos escombros do prédio do Hotel Rigopiano, no interior da província italiana de Pescara, que há dois dias foi engolido por uma avalanche de neve.

Os sobreviventes, entre eles uma criança com sua mãe, suportaram temperaturas abaixo de zero durante mais de 40 horas, em meio à neve que, no local, chega a cinco metros de altura.

Todos resgatados já estão sendo medicados nos hospitais da região e, segundo a Guarda de Finanças, estão em boas condições de saúde. Na primeira intervenção foram localizadas seis pessoas: três homens, uma mulher e duas crianças. Na segunda, outras duas pessoas. 

Mãe e filha resgatadas

As primeiras duas sobreviventes, mãe e filha, fazem parte da família de Giampiero Parete, responsável por dar o primeiro aviso sobre a avalanche, e foram encontradas num sótão, próximo à cozinha. Segundo o agente da Guarda de Finanças, Marco Bini, “além de acender uma fogueira, provavelmente elas tinham alguma coisa para comer. A esperança agora é encontrar outras pessoas com vida”.

O trabalho, sem descanso, continua com o auxílio de pás e cães farejadores, cerca de 135 agentes, 25 caminhões para atravessar o muro de neve, além de helicópteros. Operação que ainda exige muita prudência entre pedras, árvores, cimento e gelo para não colocar em perigo a vida de ninguém, já que o número de pessoas que estavam no hotel na hora do acidente ainda é incerto, entre hóspedes e funcionários. A Procuradoria de Pescara já abriu uma investigação por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Complicações com a neve continuam

Mesmo com a boa notícia que emerge em meio à tragédia, as regiões italianas de Abruzzo e Marche sofrem com a crítica viabilidade e com o isolamento de muitas comunidades limítrofes, além do risco de novas avalanches com o aumento das temperaturas. As complicações com a neve já fizeram duas vítimas entre L’Aquila e Teramo.

O presidente da região Marche, Luca Ceriscioli, ilustra a difícil realidade vivida com a neve que está deixando 40 comunidades isoladas:

"Chegarão outros quatro caminhões limpa-neves para liberar as comunidades. É preciso entender que, para liberar uma comunidade com uma turbina, são necessárias dez horas de trabalho. Ao mesmo tempo estamos usando os helicópteros seja para fornecer comida e bens de primeira necessidade, seja pelo risco de avalanches. Cerca de três mil residências não têm corrente elétrica, mas tudo aquilo que chega como ajuda está sendo distribuído no território." (Ansa/AC)

Fonte: Rádio Vaticano