Estatuto Social

Bispos dos EUA: muro trará mais exploração e sofrimento

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Cidade do Vaticano (RV) – “É preciso construir pontes, não muros”. Assim a Conferência Episcopal dos EUA respondeu ao decreto do presidente Donald Trump para que se levante um muro na fronteira entre os EUA e o México.

A construção do muro “colocará em risco a vida dos imigrantes”, devemos “construir pontes entre as pessoas”, não criar barreiras. Foi o que afirmou Dom Joe Vasquez, bispo de Austin e presidente da Comissão para os migrantes.

Dom Vasquez destacou ainda que este muro “fará com que os imigrantes, sobretudo os mais vulneráveis, mulheres e crianças”, sejam ainda mais explorados nas mãos de “traficantes e coiotes”. Além disso, afirmou também que o muro “desestabilizará muitas comunidades que vivem pacificamente ao longo da fronteira”.

Detenções

O bispo denunciou ainda que a nova política de detenções e deportações dos imigrantes anunciada por Trump “dividirá famílias e alimentará o pânico e o medo nas comunidades”. Essa política “não garante a segurança dos americanos e torna mais difícil aos mais vulneráveis o acesso a proteção em nosso país. As políticas de Trump “prejudicam ainda mais as famílias dos imigrantes”, finalizou.

(rb)

Fonte: Rádio Vaticano