Estatuto Social

Colômbia: tem início mesa de diálogo com libertação de ex-parlamentar

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Bogotá (RV) - Nesta quinta-feira (03/02), o Exército de Libertação Nacional (ELN) libertou, no Estado de Chocó, na Colômbia, o ex-parlamentar Odín Sánchez, que abraçou sua família depois de dez meses de sequestro.

A seguir, o Governo colombiano libertou dois guerrilheiros do ELN, Nixon Arsenio Cobos e Leivis Enrique Valero, detidos no Estado de Santander. Estas eram as condições para abrir a mesa de diálogo programada para o próximo dia 7, em Quito, capital do Equador.

Países garantes da mesa de paz são a Noruega, Chile, Cuba e Brasil. A Igreja colombiana também estará presente com a tarefa de facilitar as tratativas. 

Prossegue, no entanto, em etapas forçadas, o processo de paz que tem como protagonista a ex guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), cujos membros chegaram em grande parte aos 26 centros de agrupamento criados em várias áreas do país para o período de desarmamento e preparação para a reinserção social. Muitos ex-guerrilheiros viveram na clandestinidade, muitas vezes na floresta, por um grande período de suas vidas.
 
Tudo isso se realiza enquanto, em Bogotá, teve início nesta quinta-feira (02/02), a 16ª Cúpula Mundial dos Vencedores do Prêmio Nobel da Paz, com uma homenagem às vítimas do conflito colombiano. 

Para a ocasião, chegou ao congresso uma mensagem do Papa Francisco. Nela o Pontífice “exorta a promover a compreensão e o diálogo entre os povos. Confia que os esforços da Colômbia para construir pontes de paz e reconciliação possam inspirar todas as comunidades a superar a divisão e que as vítimas da violência sejam capazes de resistir à tentação de vingança e se convertam em agentes de paz”. 

(MJ)

Fonte: Rádio Vaticano