Estatuto Social

Itália: Card. Parolin faz apelo à política para dar respostas concretas ao país

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Roma (RV) – Diante das preocupações provocadas pela crise ocupacional na Itália e pelo aumento do populismo e do nacionalismo no mundo inteiro, o secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, fez um apelo “à política” para que volte “a entender as exigências concretas das pessoas”, dando “respostas concretas”.

A declaração foi feita durante uma entrevista concedida ao principal telejornal italiano, o TG1 da Rai, na noite desta segunda-feira (13). O secretário de Estado se deteu, primeiramente, ao tema da ocupação e disse: “acredito realmente que o trabalho constitua uma das emergências dos nossos dias, perante a qual a Igreja gostaria de enaltecer aqueles princípios de solidariedade social que devem ser a base de toda convivência civil”.

O purpurado mostrou a sua preocupação, comentando “que às vezes a política é muito distante, vive quase, para usar uma palavra do Papa, em um mundo autorreferencial”. Ao contrário, acrescentou o Card. Parolin, a política “deve saber entender aquelas que são as exigências das pessoas, e das pessoas concretas, e deve saber dar as respostas que sejam respostas concretas, de modo tal que as pessoas voltem a viver e a esperar”.

Em matéria de populismos e nacionalismos, o purpurado também se disse preocupado. Muito porque, explicou ele, “existe o risco, e o Papa nos lembrava disso um tempo atrás, que de uma certa forma a história se repita. Certamente esses fechamentos não são um bom sinal. Muitos desses fenômenos de fechamento nascem do próprio medo”. E “o medo nunca foi um bom conselheiro”, concluiu o secretário de Estado ao telejornal da TV pública da Itália. (L'Osservatore Romano/AC)

Fonte: Rádio Vaticano