Estatuto Social

Alemanha vai doar 40 milhões de euros ao Sudão do Sul

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Berlim (RV) - O Embaixador alemão no Sudão do Sul, Johannes Lehne, disse nesta terça-feira que seu país entregará um total de 40 milhões de euros (quase R$ 130 milhões) ao Sudão do Sul com o objetivo de atuar perante a crise humanitária que o país vive, após a declaração de crise de fome.

O diplomata alemão qualificou a situação no Sudão do Sul de "lamentável" e disse que não dá para ficar de "braços cruzados enquanto as pessoas sofrem de fome". Conforme explicou, a ajuda da Alemanha é feita após um apelo lançado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para melhorar a situação humanitária no país africano.

No último dia 20, várias agências da ONU alertaram que 100 mil pessoas estão em situação de fome e 1 milhão está prestes a entrar nessa crise alimentar em vários lugares do Sudão do Sul devido à guerra e ao colapso da economia.

No sábado passado, Luca Russo, da Organização da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO), enfatizou que a declaração de crise de fome, a segunda deste século, se verifica quando é já "tarde demais" e as pessoas já começaram a morrer de inanição e não por armas de fogo.

Por outro lado, o escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) informou que foi obrigado a retirar 28 membros de sua equipe de socorro, por causa da insegurança no local.

O conflito no Sudão do Sul explodiu em dezembro de 2013, quando o presidente sudanês, Salva Kiir, da etnia dinka, denunciou uma tentativa de golpe de Estado por parte de seu vice-presidente Riek Machar, pertencente à tribo nuer. (SP-EFE)

Fonte: Rádio Vaticano