Estatuto Social

Pax Christi: direitos iguais entre palestinos e israelenses

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Roma (RV) - A associação católica e pacifista internacional “Pax Christi faz apelo a todas as partes a retornar à mesa de negociação para definir acordos de paz que reconheçam e protejam a dignidade humana e os iguais direitos do povo palestino e do povo israelense.

Consideramos que a retomada de um processo de paz se deva basear num firme compromisso a respeitar o direito internacional e as resoluções da Onu”.

A Pax Christi se mobiliza por ocasião do 50º aniversário da eclosão da guerra dos Seis dias (5 de junho de 1967) que marcou o início de 50 anos de ocupação israelense dos territórios palestinos.

“É o momento para dizer basta!”, escreve Pax Christi anunciando um mês de iniciativas e atividades para chamar a atenção sobre as consequências destas cinco décadas de ocupação israelense na vida dos palestinos.

É preciso que “governos, sociedade civil e pessoas de boa vontade façam pressão com todos os meios possíveis, político, econômico e de sensibilização, para buscar dar fim à ocupação”, escreve numa nota.

Segundo a associação católica e pacifista internacional, a condição indispensável para poder alcançar uma solução que dê um futuro de paz aos dois povos é que se estabeleça “a proibição de venda e entrega de armas a Israel e Palestina e a imediata cessação de toda e qualquer operação militar que contribua para a violência do conflito”. (RL-Sir)

Fonte: Rádio Vaticano