Estatuto Social

Moscou pede que Polônia não remova monumentos da era soviética

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Varsóvia (RV) – Enquanto crescem em toda a Polônia os protestos contra a polêmica reforma da justiça, a Rússia pediu às autoridades de Varsóvia para pararem a remoção dos monumentos da época soviética.

A Câmara Alta do Parlamento de Moscou, de fato, havia pedido na terça-feira ao Presidente russo Vladimir Putin, a permissão para decretar eventuais “medidas restritivas no campo da cooperação bilateral” caso – segundo previsto por uma lei polonesa recentemente aprovada -  fossem removidos os monumentos soviéticos, que os poloneses consideram como “herança de um passado totalitário”.

Na lei recentemente aprovada, as autoridades polonesas definiram a União Soviética como “potência ocupante” e proposto “o desmonte e a remoção de centenas de monumentos e memoriais que celebram a vitória soviética contra o nazismo e a influência” que a velha URSS teve por decênios na Polônia no âmbito do Pacto de Varsóvia.

Na última semana, o Ministério do Exterior russo havia denunciado em uma nota oficial que a remoção dos monumentos soviéticos seria uma violação dos acordos entre Moscou e Varsóvia, sublinhando que na II Guerra Mundial foram mais de 600 mil os soldados soviéticos que morreram na Polônia para libertar o país do nazismo.

O Embaixador polonês em Moscou, Włodzimierz Marciniak, assegurou que “os cemitérios de guerra soviéticos não serão tocados”.

(JE – L’Osservatore Romano)

Fonte: Rádio Vaticano.