Estatuto Social

O legado dos Jesuítas no Brasil para o Patrimônio Histórico

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Anchieta (RV) – “Jesuítas no Brasil: Legado para o Patrimônio Histórico” é o título do seminário em andamento de 31 de julho a 4 de agosto  em Anchieta (ES) e  que pretende aprofundar o conhecimento acerca do legado dos jesuítas para o patrimônio nacional.

O seminário é promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pela Companhia de Jesus e insere-se nas comemorações dos 80 anos de criação do Iphan.

Participantes

Participam gestores de bens jesuítas tombados; agentes públicos envolvidos com a preservação do patrimônio; representantes da sociedade civil com interface na atuação jesuíta; profissionais e técnicos da área de patrimônio cultural; sociedade acadêmica envolvida com o tema de patrimônio cultural; estudantes universitários e público da região.

A escolha da cidade como sede do encontro, assim como a data, não foram mera casualidade, visto que em 31 de julho de 1556 falecia em Roma o fundador da Companhia de jesus, Santo Inácio de Loyola e a cidade foi fundada por São José de Anchieta em 1569.

Programação

A abertura do Seminário, no dia 31, foi seguida por uma celebração eucarística pela memória litúrgica de Santo Inácio.

Neste dia 1º e na quarta-feira 2 de agosto, diversas conferências tratarão do tema sobre a presença jesuíta nos Estados.

No dia 3 de agosto, serão apresentados projetos acadêmicos de pesquisa sobre o patrimônio jesuíta. Na parte da tarde, os participantes realizam visita à Igreja Nossa Senhora de Assunção.

No último dia do evento, 4 de agosto, as atividades realizam-se em Guarapari e Serra, com visitas às Igrejas de Nossa Senhora da Conceição e de Reis Magos, respectivamente.

Jesuítas e o patrimônio cultural brasileiro

Criado em 1937 com a finalidade de promover a preservação do patrimônio cultural do Brasil, o Iphan incluiu o expressivo legado jesuítico em suas primeiras ações de proteção e conservação.

Foram onze tombamentos logo em 1938, entre os quais a Catedral Basílica de Salvador (BA), o Seminário de Olinda (PE), a Capela de São Pedro d’Aldeia (RJ), o antigo Colégio de Paranaguá (PR) e as ruínas da igreja de São Miguel (RS).

Paralelamente aos acautelamentos pioneiros, foram realizados detalhados estudos sobre a contribuição dos jesuítas nas artes plásticas e arquitetura. 

No Espírito Santo, são quatro os bens de origem jesuítica considerados Patrimônio Nacional: a Igreja de Nossa Senhora da Assunção e Residência em Anchieta, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição em Guarapari, a Igreja dos Reis Magos e Residência em Serra e a Igreja da Ajuda em Viana.

(JE/Iphan)

Fonte: Rádio Vaticano.