Estatuto Social

Governo venezuelano indiferente aos direitos humanos, diz Anistia Internacional

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Caracas (RV) – O drástico incremento do uso ilegal da força, as dezenas de prisões arbitrárias e a morte de ao menos 10 pessoas, somados a outros preocupantes ataques contra a população da Venezuela registrados no último final de semana, confirmam para a Anistia Internacional a contínua deterioração da situação dos direitos humanos no país.

“O Presidente Maduro e o seu governo parecem viver em um universo paralelo”, declarou a Diretora do organismo, Erika Guevara-Rosas.

“As autoridades não podem continuar a ignorar a tensão e a violência em andamento e deveriam responder às prementes necessidades de toda a população, incluindo aqueles que não estão de acordo com o governo”, acrescentou.

“O uso da força letal deve cessar imediatamente. As autoridades – por meio de magistrados civis -  devem investigar de forma imparcial todos os caos de violência, independente de quem tenha sido o responsável. Devem ser implementadas ações imediatas para colocar fim às prisões arbitrárias, às mortes e à outras graves violações dos direitos humanos”, sublinhou Guevara-Rosas.

Segundo a Procuradoria Geral venezuelana, no dia das eleições para a Assembleia Constituinte foram mortas ao menos 10 pessoas – incluindo alguns jovens -  como resultado do aumento do uso ilegal da força.

Também foram registrados ataques indiscriminados contra cidadãos venezuelanos com tiros e gás lacrimogêneo, mesmo na proximidade de hospitais.

Foram registrados ainda dezenas de feridos entre soldados, agentes de polícia e grupos civis armados. (JE)

Fonte: Rádio Vaticano.