Estatuto Social

Cruz Vermelha condena assassinato de seis voluntários na Rep. Centro-Africana

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Genebra (RV) – A Federação Internacional da Cruz Vermelha (FICR) expressou esta quarta-feira sua profunda consternação e tristeza pela morte violenta de seis de seus voluntários na República Centro Africana.

Os voluntários participavam em 3 de agosto de uma reunião sobre a crise no Centro de Saúde de Gambo, na Prefeitura de Mbomou (sudeste do país), quando em um acontecimento violento, do qual não se conhecem detalhes, várias pessoas foram mortas, entre os quais os voluntários.

“Estamos consternados pelas notícias da morte de nossos voluntários. Fazemos um chamado a todas as partes para que evitem a morte de civis e para respeitar a todos os trabalhadores humanitários”, disse em um comunicado Antoine Mbao-Bogo, Presidente da Cruz Vermelha da República Centro-Africana.

A entidade condenou de forma veemente o ataque, o terceiro deste tipo desde o início do ano.

Na Audiência Geral desta quarta-feira o Papa Francisco condenou os ataques violentos perpetrados na Repúblicas Centro-Africana e na Nigéria, e pediu que cesse “todas as formas de ódio e de violência” e que “não se repitam estes crimes vergonhosos em locais de culto onde as pessoas se reúnem para rezar”.

Já o Bispo da cidade de Bangassou, Dom Juan José Aguirre Muñoz, denunciou na noite de terça-feira - em uma mensagem enviada a seu irmão - que um grupo de homens armados havia atacado uma missão católica localizada a 75 km de Bangassou, quando foram assassinadas 50 pessoas.

(JE/EFE)

Fonte: Rádio Vaticano