Estatuto Social

Eu só sei que a vida, é mais colorida com você

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Nápoles (RV) – O terremoto de magnitude 4.0 que sacudiu mais uma vez os italianos, desta vez ao sul do país, fez com que as 25 dioceses da região da Campânia se mobilizassem para ajudar as famílias e os turistas que se viram desabrigados desde a noite desta segunda-feira (21).

Uma coleta – de doações em dinheiro e de materiais de necessidades básicas – está sendo coordenada pela Caritas regional (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

O Cardeal Crescenzio Sepe, presidente da Conferência Episcopal da Campânia, expressa a sua dor e total proximidade da Igreja a todos que sofreram com o terremoto na ilha de Ísquia. O arcebispo de Nápoles segue constantemente, através das TVs all-news, as atividades de socorro e também reza pelas famílias das vítimas, dos feridos e desaparecidos.

A ilha de Ísquia é um dos destinos turísticos do verão europeu e um dos mais populares do Golfo de Nápoles, além de ter origem vulcânica. O presidente do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (Ingv), Carlo Doglioni, explica que, numa área vulcânica assim, o calor se dissipa muito na crosta e, quanto mais a crosta é quente, mais existe a possibilidade que um sismo seja registrado na área mais fria e externa. Por isso, segundo ele, os terremotos que acontecem em regiões vulcânicas são frequentemente muito superficiais, porém, potencialmente destrutivos quando as construções são vulneráveis. (AC/Ansa)

Fonte: Rádio Vaticano.