Estatuto Social

“Pena com esperança”, mensagem do Papa a presos argentinos

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Ao Centro de estudantes universitários do penitenciário de Ezeiza

(ZENIT -Roma, 24 Ago. 2017).- “Não esqueçamos que, a fim de que a pena seja fecunda, deve se ter um horizonte de esperança, do contrário permanece fechada em si mesma e é somente um instrumento de tortura, não é fecunda. Pena com esperança, então é fecunda.

É a exortação do Papa Francisco na mensagem vídeo enviada ao Centro de estudantes universitários do Complexo penitenciário federal de Ezeiza, na Argentina publicado hoje pela Santa Sé.

Ele fez isso para agradecer a nova iniciativa da Music Workshop no Centro: “Com esta nova oficina de música estão a olhar para a reintegração social, e agora estão reinsertando os estudos, com a Universidade de Buenos Aires, estão a analisar a Reintegração social ”

O Centro de Estudantes do complexo prisional de Ezeiza faz parte da “UBA XXII”, um programa para ajudar a reintegração social de detidos realizada pela Universidade de Buenos Aires.

“A vida é um presente, mas um presente que temos de conquistar todos os dias. É-nos presenteado, mas devemos conquistá-lo todos os dias. Devemos conquistá-lo em cada passo da vida. Um presente que não é fácil conservar. Coragem todos os dias!”, diz o Papa.

O Pontífice destaca a abertura do curso de música agradecendo a todos aqueles que colaboraram para essa iniciativa, definindo como um “sopro de vida” o que está acontecendo entre eles no Cárcere.

“Com esse novo curso de música vocês estão olhando para a reinserção social, desde já estão se inserindo com os estudos, com a Universidade de Buenos Aires, estão olhando para a reinserção social”, insiste o Papa Bergoglio reiterando tratar-se de “uma pena com esperança, uma pena com horizonte”.

“Os problemas existem e existirão, mas o horizonte é maior do que os problemas, a esperança supera todos os problemas.”

E concluiu: “Dificuldades, todos as temos, muitas, porém cuidemos desse presente que é a vida e o façamos crescer, cuidemos dele e o façamos florescer.”

Fonte: ZENIT