Estatuto Social

Apresentado projeto de peregrinação aos lugares da Sagrada Família

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Cidade do Vaticano (RV) - Na Audiência Geral desta quarta-feira (04/10), o Papa Francisco saudou uma delegação egípcia que foi ao Vaticano para a bênção do ícone que descreve a fuga da Sagrada Família para o Egito.

Conforme notícias de algumas agências, dentre as quais a Fides, o Ministro egípcio do Turismo, Yahya Rashid, encontra-se, em Roma, nestes dias, para relançar o projeto de peregrinação ao longo do “Caminho da Sagrada Família”, itinerário egípcio que une os lugares onde Maria, José e o Menino Jesus passaram, segundo a tradição, fugindo da violência de Herodes.
 
A apresentação desse projeto será feita às 19h locais, desta quarta-feira (04/10), em Roma, na Via da Conciliação nº 51. Além do pronunciamento do Ministro Rashid, estão previstos também discursos dos embaixadores egípcios junto à Santa Sé, Seif Elnasr Hatem, e junto ao Estado italiano, Amr Mostafa Kamal Helmy. 

Participa do encontro uma delegação da Obra Romana de Peregrinações (Opera Romana Pellegrinaggi), corresponsável pelo projeto.

Na época de Jesus, as estradas que levavam da Palestina ao Egito eram três. Segundo algumas fontes históricas coptas, a Sagrada Família, com medo de ser reconhecida, não teria percorrido nenhum desses três itinerários e ao chegar, ao Egito, mudava constantemente, provavelmente por motivos de segurança. 

São muitos os lugares de culto cristãos ligados à passagem dos refugiados, a ponto de permitir um mapeamento: um itinerário que parte da costa mediterrânea, atravessa a área do Delta e do Nilo e segue o seu percurso, em direção ao sul, até a cidade atual de Assiut.

A tradição popular não especifica sempre se um determinado lugar foi visitado na ida ou na volta pela Sagrada Família. De qualquer maneira, as várias etapas são marcadas por capelas, santuários, mosteiros e até mesmo árvores, meta milenar de peregrinação dos fiéis coptas.

Alguns exemplos: o altar da antiga Igreja da Santa Virgem no Mosteiro de Al-Moharraq (Assiut) seria o berço esculpido na pedra onde o Menino Jesus teria dormindo por seis meses.

A Igreja da Virgem, em El-Mahamma, situada a 10 km do Cairo, foi o local onde Maria deu banho em Jesus. A Árvore de Maria, situada a 50 km do Cairo, teria sido o lugar em que Nossa Senhora se repousou, em Belbeis; a fonte de água que o Menino Jesus teria feito surgir, em El-Mataria: Maria, lavando as roupas de Jesus, derramou água no chão e ali brotou uma planta aromática usada ainda hoje para produzir o Óleo do Crisma.

A Sagrada Família teria passado também pelo sítio arqueológico que teria se tornado o Antigo Cairo onde se encontram vários mosteiros e santuários. Narra-se que a Sagrada Família ficou ali alguns dias. Por onde Jesus passava, caíam as estátuas dos ídolos. Herodes mandou matar o Menino Jesus e a Família se refugiou numa gruta, que se tornou depois a cripta da Igreja de Abu Serga (São Sérgio).

(MJ)

Fonte: Rádio Vaticano