Estatuto Social

Arcebispo sírio Jeanbart: "obrigado Papa Francisco por suas palavras!"

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Aleppo (RV) - Chegaram a Aleppo, cidade mártir da Síria, as palavras do Papa Francisco na audiência geral desta quarta-feira:

“Pensamos em nossos irmãos e irmãs do Oriente Médio que dão testemunho de esperança, e também oferecem a vida por este testemunho... Esses são verdadeiros cristãos, eles carregam o céu no coração, olham além, sempre além!”

“Obrigado Papa Francisco por suas palavras” – declara à agência Sir o arcebispo greco-melquita de Aleppo, Dom Jean Clement Jeanbart. “O Santo Padre nos conforta e nos anima a permanecer, mesmo em meio a tantas dificuldades, para continuar dando testemunho.”

Terra onde o cristianismo e a Igreja nasceram

“Durante estes anos de guerra conforta-nos a Palavra de Jesus: ‘Se Deus é por nós quem será contra nós?’ Robustecidos por isso podemos resistir aqui onde o cristianismo e a Igreja nasceram”, acrescentou o arcebispo.

“Por esse motivo pedimos aos cristãos do mundo inteiro que nos ajudem a permanecer e a não deixar nossas terras. Aqui nascemos, deem-nos a possibilidade de resistir em nossas terras abençoadas por milhões de mártires e de santos. Essa é uma terra santa. Aceitamos a injustiça porque cremos em Jesus Cristo, Ele está sempre ao nosso lado”, ressaltou.

"Cristo está conosco, não tenhamos medo"

“Tempos atrás – conta Dom Jeanbart – quando estávamos reformando uma residência episcopal encontramos numa parede uma antiga inscrição de 1800 que recitava ‘Cristo está conosco, não tenhamos medo’. Palavras que se encontram em muitas casas cristãs daqueles tempos difíceis, como os de hoje.”

O arcebispo de Aleppo tem consciência de que “apesar de todas as vicissitudes e perseguições devemos testemunhar que estamos vivos, cremos no Senhor da Esperança, na Ressurreição. O que será do Oriente Médio quando estiver desprovido de cristãos? Por isso apelo ao mundo inteiro: ajudem-nos a permanecer, a não ir embora!”, reiterou. (RL/Sir)

Fonte: Rádio Vaticano