Estatuto Social

Wojtyla e Galileu: Pe. Maffeo, grande passo para fé e ciência

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Cidade do Vaticano (RV) - Completam-se, nesta terça-feira (31/10), 25 anos do discurso memorável de São João Paulo II à Plenária da Pontifícia Academia das Ciências, em que o Pontífice admitiu que foi um erro condenar Galileu Galilei.

Em 1979, um ano depois de sua eleição à Cátedra de Pedro, Karol Wojtyla reconheceu que o autor do Diálogo sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo, “sofreu muito por causa de homens e organismos da Igreja”.

A declaração histórica de 1992 veio após o trabalho de uma comissão presidida pelo Cardeal Paul Poupard, desejada por João Paulo II, em 1981, para aprofundar o processo do grande cientista italiano, ocorrido 350 anos antes.

Sobre a importância daquela decisão de João Paulo II e os frutos provenientes do diálogo entre Igreja e Ciência, a Rádio Vaticano – Secretaria para a Comunicação entrevistou o Pe. Sabino Maffeo, S.J., 95 anos, membro emérito da Specula Vaticana, que, em 1992, foi vice-diretor do Observatório Astronômico Vaticano.

Pe. Maffeo: “Eu diria: finalmente! Finalmente a Igreja esclareceu esse caso com a decisão de João Paulo II, quando declarou solenemente o grande erro de condenar Galileu, que dizia a verdade, e lhe foi dito, ao invés, de abster-se de defender uma doutrina que era justa.”

Esse passo de São João Paulo II foi muito importante para colocar as coisas numa perspectiva justa?

Pe. Maffeo: “Diria de sim. É o mérito desse Papa que disse claramente que foi cometido um erro quando Galileu foi condenado!”

Bento XVI e Francisco continuaram na esteira de João Paulo II com um diálogo cada vez mais profundo com o mundo da ciência...

Pe. Maffeo: “De fato, o ambiente em que me encontro, a Specula Vaticana, está mostrando que os Papas apreciam a ciência! Alguém poderia pensar: ‘Esses sacerdotes que estudam as estrelas, os planetas e coisas desse tipo não seria melhor que fizessem apostolado?” Pois bem, a coragem de destinar esses sacerdotes a isso, significa que é muito importante o testemunho que eles dão e que a Igreja reconhece os erros cometidos no campo da astronomia!”

(MJ/AG)

Fonte: Rádio Vaticano