Estatuto Social

Sexta - Feira, 05 de Junho de 2015 - 6ª-feira da 9ª Semana Tempo Comum

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Cor: Vermelho

Leituras do Dia


1ª Leitura - Tb 11,5-17
Salmo - Sl 145,2ab. 7. 8-9a. 9bc-10 (R. 1)
Evangelho - Mc 12,35-37
Reflexão - Mc 12, 35-37

1ª Leitura - Tb 11,5-17

Deus me castigou e agora vejo o meu filho Tobias! Naqueles dias:
5Ana estava sentada, observando atentamente o caminho
por onde devia chegar seu filho.
6Percebeu que ele se aproximava e disse ao pai:
"Teu filho está chegando,
e com ele o homem que o acompanhou".
7Antes que Tobias se aproximasse do pai,
Rafael lhe disse:
"Estou certo de que seus olhos se abrirão.
8Aplica-lhe nos olhos o fel do peixe.
O remédio fará que as manchas brancas se contraiam
e se desprendam de seus olhos.
Teu pai vai recuperar a vista e enxergará a luz".
9Ana correu, atirou-se ao pescoço do filho e disse:
"Voltei à ver-te, meu filho, agora posso morrer!"
E chorou.
10Tobit levantou-se e, tropeçando,
atravessou a porta do pátio.
11Tobias foi ao seu encontro, tendo na mão o fel do peixe.
Soprou-lhe nos olhos e, segurando-o, disse:
"Confiança, pai!" Derramou o remédio e esfregou-o.
12Depois, com ambas as mãos,
tirou-lhe as películas dos cantos dos olhos.
13Então Tobit caiu-lhe ao pescoço, chorando e dizendo:
"Eu te vejo, meu filho, luz de meus olhos!"
14E acrescentou:
"Bendito seja Deus!
Bendito seja o seu grande nome!
Benditos sejam todos os seus santos anjos
por todos os séculos!
15Porque, se ele me castigou,
agora vejo o meu filho Tobias!"
A seguir, Tobit entrou com Ana em sua casa,
louvando e bendizendo a Deus em alta voz,
por tudo o que lhes tinha acontecido.
E Tobias contou ao pai
como tinha sido boa a viagem deles,
por obra do Senhor Deus,
como haviam trazido o dinheiro
e como se tinha casado com Sara, filha de Ragüel.
Aliás, ela já se aproximava das portas de Nínive.
16Tobit e Ana alegraram-se muito
e saíram ao encontro da nora, às portas da cidade.
Vendo-o andar a passos largos e com toda a firmeza,
sem que ninguém o conduzisse pela mão,
os ninivitas se admiraram.
17E diante deles Tobit louvava
e bendizia a Deus em alta voz,
por ter sido misericordioso para com ele
e por lhe ter aberto os olhos.
E, aproximando-se de Sara, mulher de seu filho Tobias,
abençoou-a e disse:
"Bem vinda sejas, minha filha!
E bendito seja o teu Deus, filha,
que te trouxe para junto de nós!
Abençoado seja o teu pai,
abençoado o meu filho Tobias
e abençoada sejas tu, minha filha!
Entra em tua casa com saúde, a ti bênção e alegria!
Entra, minha filha!"
E naquele dia foi grande o contentamento
entre todos os judeus que se encontravam em Nínive.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 145,2ab. 7. 8-9a. 9bc-10 (R. 1)

 


2aBendirei ao Senhor toda a vida, *
2bcantarei ao meu Deus sem cessar!R.

7O Senhor faz justiça aos que são oprimidos;
ele dá alimento aos famintos,*
é o Senhor quem liberta os cativos.R.

8O Senhor abre os olhos aos cegos*
o Senhor faz erguer-se o caído;
o Senhor ama aquele que é justo*
9aÉ o Senhor quem protege o estrangeiro.R.

9bEle ampara a viúva e o órfão*
9cmas confunde os caminhos dos maus.
10O Senhor reinará para sempre!
Ó Sião, o teu Deus reinará*
para sempre e por todos os séculos!R.

Evangelho - Mc 12,35-37

Como é que os mestres da Lei
dizem que o Messias é Filho de Davi? Naquele tempo:
35Jesus ensinava no Templo, dizendo:
"Como é que os mestres da Lei
dizem que o Messias é Filho de Davi?
36O próprio Davi, movido pelo Espírito Santo, falou:
"Disse o Senhor ao meu Senhor: senta-te à minha direita,
até que eu ponha teus inimigos debaixo dos teus pés".
37Portanto, o próprio Davi chama o Messias de Senhor.
Como é que ele pode então ser seu filho?"
E uma grande multidão o escutava com prazer.
Palavra da Salvação.

Reflexão - Mc 12, 35-37

A multidão que escutava Jesus nos deixa um grande exemplo: escutava Jesus com prazer. Nós somos convidados a conhecer cada vez mais e melhor quem é Jesus, contemplá-lo a cada dia e a penetrarmos no seu mistério. Isto para nós, antes de ser uma tarefa a ser desempenhada, deve ser causa de grande alegria por termos a oportunidade de participar da vida de Jesus, da sua intimidade, de poder entrar, conduzidos pela graça, no seu mistério e viver em profunda comunhão com ele. Conhecer Jesus deve ser uma fonte inesgotável de prazer para todos nós, um prazer muito maior do que teve a multidão ao escutá-lo.

Fonte: CNBB