Estatuto Social

Terça - Feira, 23 de Junho de 2015 - 3ª-feira da 12ª Semana Tempo Comum

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Cor: Verde

Leituras do Dia


1ª Leitura - Gn 13,2.5-18
Salmo - Sl 14, 2-3ab. 3cd-4ab. 5 (R. 1b)
Evangelho - Mt 7,6.12-14
Reflexão - Mt 7, 6.12-14

1ª Leitura - Gn 13,2.5-18

Não deve haver discórdia entre nós pois somos irmãos. 2Abrão era muito rico em rebanhos, prata e ouro.
5Ló, que acompanhava Abrão, também tinha ovelhas, gado e tendas.
6A região já não bastava para os dois,
pois seus rebanhos eram demasiado numerosos,
para poderem morar juntos.
7Surgiram discórdias entre os pastores
que cuidavam da criação de Abrão, e os pastores de Ló.
Naquele tempo, os cananeus e os fereseus ainda
habitavam naquela terra.
8Abrão disse a Ló:
"Não deve haver discórdia entre nós
e entre os nossos pastores,
pois somos irmãos.
9Estás vendo toda esta terra diante de ti?
Pois bem, peço-te, separa-te de mim.
Se fores para a esquerda, eu irei para a direita;
Se fores para a direita, eu irei para a esquerda".
10Levantando os olhos,
Ló viu que toda a região em torno do Jordão
era por toda a parte irrigada
- isso antes que o Senhor destruísse Sodoma e Gomorra -,
era como um jardim do Senhor
e como o Egito,
até a altura de Segor.
11Ló escolheu, então, para si a região em torno do Jordão,
e foi para oriente.
Foi assim que os dois se separaram um do outro.
12Abrão habitou na terra de Canaã,
enquanto que Ló se estabeleceu nas cidades próximas do Jordão,
e armou suas tendas até Sodoma.
13Ora, os habitantes de Sodoma eram péssimos,
e grandes pecadores diante do Senhor.
14E o Senhor disse a Abrão,
depois que Ló se separou dele:
"Ergue os olhos e, do lugar onde estás,
olha para o norte e para o sul,
para o oriente e para o ocidente:
15toda essa terra que estás vendo, eu a darei
a ti e à tua descendência para sempre.
16Tornarei tua descendência tão numerosa
como o pó da terra.
Se alguém puder contar os grãos do pó da terra,
então poderá contar a tua descendência.
17Levanta-te e percorre este país de ponta a ponta,
porque é a ti que o darei.
18Tendo desarmado suas tendas,
Abrão foi morar junto ao Carvalho de Mambré, que está em Hebron,
e ali construiu um altar ao Senhor.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 14, 2-3ab. 3cd-4ab. 5 (R. 1b)

2É aquele que caminha sem pecado*
e pratica a justiça fielmente;
3aque pensa a verdade no seu íntimo *
3be não solta em calúnias sua língua.R.

3cQue em nada prejudica o seu irmão,*
3dnem cobre de insultos seu vizinho;
4aque não dá valor algum ao homem ímpio,*
4bmas honra os que respeitam o Senhor.R.

5não empresta o seu dinheiro com usura,
nem se deixa subornar contra o inocente.*
Jamais vacilará quem vive assim!R.

Evangelho - Mt 7,6.12-14

Tudo quanto quereis que os outros vos façam,
fazei também a eles. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
6Não deis aos cães as coisas santas,
nem atireis vossas pérolas aos porcos;
para que eles não as pisem com os pés
e, voltando-se contra vós, vos despedacem.
12Tudo quanto quereis que os outros vos façam,
fazei também a eles.
Nisto consiste a Lei e os Profetas.
13Entrai pela porta estreita,
porque larga é a porta
e espaçoso é o caminho que leva à perdição,
e muitos são os que entram por ele!
14Como é estreita a porta
e apertado o caminho que leva à vida!
E são poucos os que o encontram!
Palavra da Salvação.

Reflexão - Mt 7, 6.12-14

Hoje em dia, fala-se muito da questão da inculturação. É inculturação do anúncio, da liturgia e assim por diante. De fato, a inculturação é necessária para que todos possam viver os valores do Reino de Deus. Mas o Evangelho de hoje nos faz uma grave advertência: não atireis vossas pérolas aos porcos. É claro que devemos valorizar todas as formas e expressões de uma cultura e reconhecer os grandes valores que estão presentes na cultura e que expressam os valores evangélicos, mas inculturar o Evangelho não significa submete-lo aos valores culturais, pois a cultura tende a ver o Evangelho de uma forma ideológica e a usar as suas palavras sem os critérios do Reino, pisando nelas e voltando-se contra nós.

Fonte: CNBB