Estatuto Social

2ª-feira da 31ª Semana Tempo Comum

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Cor: Verde

1ª Leitura - Fl 2,1-4

Tornai completa a minha alegria:
aspirai à mesma coisa.
Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses 2,1-4
Irmãos:
1Se existe consolação na vida em Cristo,
se existe alento no mútuo amor,
se existe comunhão no Espírito,
se existe ternura e compaixão,
2tornai então completa a minha alegria:
aspirai à mesma coisa,
unidos no mesmo amor;
vivei em harmonia,
procurando a unidade.
3Nada façais por competição ou vanglória,
mas, com humildade, cada um julgue
que o outro é mais importante,
4e não cuide somente do que é seu,
mas também do que é do outro.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 130,1.2.3

R. Guardai-me, ó Senhor, convosco, em vossa paz!

1Senhor, meu coração não é orgulhoso,*
nem se eleva arrogante o meu olhar;
não ando à procura de grandezas,*
nem tenho pretensões ambiciosas!R.

2Fiz calar e sossegar a minha alma;*
ela está em grande paz dentro de mim,
como a criança bem tranqüila, amamentada*
no regaço acolhedor de sua mãe.R.

3Confia no Senhor, ó Israel,*
desde agora e por toda a eternidade!R.

Evangelho - Lc 14,12-14

Não convides teus amigos mas, os pobres e os aleijados.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 14,12-14
Naquele tempo:
12E disse também a quem o tinha convidado:
'Quando tu deres um almoço ou um jantar,
não convides teus amigos, nem teus irmãos,
nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos.
Pois estes poderiam também convidar-te
e isto já seria a tua recompensa.
13Pelo contrário, quando deres uma festa,
convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos.
14Então tu serás feliz!
Porque eles não te podem retribuir.
Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos.'
Palavra da Salvação.

Reflexão - Lc 14, 12-14

O nosso relacionamento com as pessoas não pode ter como ponto de partida o interesse ou a retribuição, mas a gratuidade. Afinal de contas, Deus nos ama gratuitamente e nos concede tudo o que somos e temos sem nada exigir em troca. Mas o amor de Deus para conosco vai além da gratuidade: ele nos retribui por tudo o que fazemos gratuitamente em favor dos nossos irmãos e irmãs. Vivamos a gratuidade para que o próprio Deus seja a nossa eterna recompensa por tudo o que fizermos em favor dos sofridos e marginalizados deste mundo, que não têm ninguém por si e que são rejeitados em todos os ambientes, por não poderem retribuir de acordo com os critérios do mundo.