Estatuto Social

Carta Mensal - Setembro 2008

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
Carta setembro 2008 (109ª.)“Pois, a palavra de Deus é viva, eficaz e mais penetrante que qualquer espada de dois gumes. Penetra até dividir alma e espírito, articulações e medulas. Julga os pensamentos e as intenções do coração” (Hb 4,12).  

Nossa Igreja Católica no Brasil, celebra durante todo este mês de setembro, o Mês da Bíblia. Portanto, celebra o Mês da Palavra; da Palavra de Deus. Palavra de Deus que se encarna em Jesus de Nazaré. Devendo ser essa Palavra o alimento cotidiano e insubstituível do discípulo missionário, de maneira especial neste mês cabe-nos dirigir toda a nossa atenção e colocar o foco das nossas reflexões e atitudes para a escuta e a resposta prática à Palavra que nos orienta, nos interpela, nos impele e, como uma espada de dois gumes, “penetra até dividir alma e espírito, articulações e medulas... Julga os pensamentos e as intenções do coração”, conduzindo-nos, em segurança, pelos caminhos da história, uma vez que “não temos aqui cidade permanente, mas estamos à procura da que está por vir” (Hb 13,14). Dentre as inúmeras fontes de reflexão sobre a Palavra, ofereço-lhe, meus caros leitores (as), apenas quatro como suficientes para nossa motivação e edificação.

 1. A palavra humana -  costumo comparar a palavra humana com uma gestação, como um processo de dar à luz. Primeiro, concebe-se a palavra no intelecto, na cabeça; depois, aquece-se a palavra no calor do coração e, por fim, “dá-se á luz” através dos lábios acionados pela língua. Por ser o conduto final do processo da gestação, a língua parece carregar todo o peso da palavra que pronunciamos. Se o “ninho” gerador da palavra no consciente e no subconsciente da pessoa estiver habitado por princípios sólidos e convicções fundamentadas no respeito, no amor, no perdão, na solidariedade e na compreensão, em fim, no genuinamente humano, a palavra será sempre uma palavra geradora do bem. Caso contrário, já sabemos quais serão as conseqüências tanto no âmbito pessoal como social, sobretudo resultando na incoerência, na superficialidade, na falta de respeito e de sensibilidade no trato com os demais.  Todas as semanas, Mons.Manfred Wilhelm, Diretor Espiritual de Cursilhos no Paraguai, tem a delicadeza de enviar-me seus comentários nas homilias dominicais. Trata-se, sem dúvida, de um mestre em citações pertinentes e sempre atuais. Nesta última semana, entre outras, encontra-se esta de Sacha Guitry, dramaturgo russo, ao se referir à superficialidade de alguns que “nadam na superfície”: “Há pessoas que falam e falam...até que encontrem o que dizer”.  Lembrando a incoerência de muitos, a citação seguinte é de Maurice Baring: “Tem gente que tem na linguagem costumes de papagaio e na vida costumes de macaco. Pois, só dizem aquilo que ouviram dos outros, e só fazem aquilo que viram fazer”. Agradecendo a Mons.Manfred mais uma citação, esta de Paul Valéry, encerro esse ponto com o que eu mesmo tenho a intenção de dizer: “È difícil dizer o que se pensa: primeiro, quando não se pensa nada; segundo, quando se causará dano ao dizê-lo; terceiro quando não se tem certeza de que seja justo o pensamento que temos”. E a minha, a sua, a nossa palavra, como é? E a Palavra de Deus será como a nossa?

2. A Palavra de Deus – É a Palavra  Gerada não criada... consubstancial ao Pai” (Símbolo niceno-constantinopolitano), é a Palavra que “se fez carne e veio morar entre nós” (Jo 1,14), pronunciada desde toda a eternidade e, no tempo da história, encarnada no seio de Maria Virgem. A Palavra de Deus que se encarna é o próprio Filho de Deus, Jesus, que, enviado pelo Pai, veio para restabelecer com a humanidade aquele diálogo interrompido pelo pecado da desobediência. Jesus é a Palavra da Nova Aliança que o Pai restaura e renova através do seu Filho que se faz Eucaristia, alimento e força para seus seguidores missionários: “Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados” (Consagração do vinho na celebração eucarística).  Estendendo essa realidade a pequenas Comunidades e Movimentos eclesiais, assim se expressam nossos Pastores no Documento de Aparecida: “Todas as comunidades e grupos eclesiais darão fruto na medida em que a Eucaristia for o centro de sua vida e a Palavra de Deus for o farol de seu caminho e de sua atuação na única Igreja de Jesus Cristo” (DA 180). Todos sabemos que a Palavra de Deus, anunciada pela pessoa, pelas palavras e pelo testemunho de Jesus, está toda ela contida na Bíblia que narra a historia da nossa salvação. Entretanto, se não for levada à prática, a Bíblia poderá vir a ser um livro mais na sua biblioteca.        

3. A Palavra de Deus na vida do discípulo missionário – qualquer atitude em nossa relação com a Palavra de Deus começará por ser uma atitude de oração. Rezar a Palavra; interiorizar a Palavra para poder viver a Palavra fazendo com que ela seja praticada no seu dia-a-dia. Que todos possam ver no discípulo missionário a prática da vontade de Deus: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor! Senhor!’ entrará no Reino dos Céus, mas só aquele que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus” (Mt 7,21). Um sugestivo parágrafo do Documento de Aparecida, ao indicar os lugares de encontro com Jesus Cristo, lembra que “encontramos Jesus na Sagrada Escritura, lida na Igreja. A Sagrada Escritura, “Palavra de Deus inscrita por inspiração do Espírito Santo”, é, com a Tradição, fonte de vida para a Igreja e alma de sua ação evangelizadora. Desconhecer a Escritura é desconhecer Jesus Cristo e renunciar a anunciá-lo”. E segue lembrando o convite de Bento XVI: “Ao iniciar a nova etapa que a Igreja missionária da América Latina e do Caribe se dispõe a empreender, a partir desta V Conferência em Aparecida, é condição indispensável o conhecimento profundo e vivencial da Palavra de Deus. Por isso, é necessário educar o povo na leitura e na meditação da Palavra: que ela se converta em seu alimento para que, por experiência própria, vejam que as palavras de Jesus são espírito e vida (cf.Jo 6,63). Do contrário, como vão anunciar uma mensagem cujo conteúdo e espírito não conhecem profundamente? É preciso fundamentar nosso compromisso missionário e  toda a nossa vida na rocha da Palavra de Deus” (DA 247).            

4. Maria, um  “Sim” incondicional e absoluto à Palavra de Deus - Para concluir esta nossa reflexão sobre a Palavra de Deus, lembrando Maria, nossa Mãe e Mãe da Igreja, primeira discípula e missionária, nosso modelo,  portadora da Palavra viva e lembrando, ao mesmo tempo, suas festas neste mês de setembro – Natividade de Nossa Senhora, Santíssimo Nome de Maria, Nossa Senhora das Dores –, não posso deixar de trazer aqui  mais uma palavra do Documento de Aparecida: Ela, que “conservava todas estas recordações e as meditava em seu coração” (Lc  2,19; cf. 2,51), ensina-nos o primado da escuta da Palavra na vida do discípulo e missionário. O Magnificat  “está inteiramente tecido pelos fios da Sagrada Escritura, os fios tomados da palavra de Deus. Assim,  revela-se que nela a Palavra de Deus se encontra de verdade em sua casa, de onde sai e entra com naturalidade. Ela fala e pensa com a Palavra de Deus; a Palavra de Deus se faz a sua palavra e sua palavra nasce da Palavra de Deus. Além disso, assim se revela que seus pensamentos estão em sintonia com os pensamentos de Deus, que seu querer é um querer junto com Deus. Estando intimamente. Esta familiaridade com o mistério de Jesus é facilitada pela reza do Rosário, onde: “o povo cristão aprende de Maria a contemplar a beleza do rosto de Cristo e a experimentar a profundidade de seu amor. Mediante o Rosário, o cristão obtém abundantes graças, como recebendo-as das próprias mãos da mãe do Redentor” (DA 271).

Um abraço fraterno a todos, meus queridos leitores e leitoras, e até outubro, se Deus assim o permitir. Do irmão e amigo no Senhor Jesus Cristo; 

 Pe.José Gilberto BeraldoAssessor Eclesiástico NacionalE-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.