Notícias

Celebrados os 75 anos de relações diplomáticas entre Santa Sé e Taiwan

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Taipei (RV) – Os 75 anos das relações diplomáticas entre República da China (Taiwan) e a Santa Sé foram celebrados na quinta-feira, 26 de outubro, junto com os quatro anos de Pontificado do Papa Francisco.

Organizado na sede do Arcebispado pela Nunciatura Apostólica, pela Conferência Episcopal Regional Chinesa (Bispos de Taiwan) e pela Universidade Católica Fu Jen, o evento teve início com as saudações do Encarregado da Nunciatura Apostólica, Dom Slađan Ćosić; do Arcebispo de Taipei e Presidente da Conferência Episcopal, Dom John Shan-Chuan Hung; da Sra Anna Kao, Diretora Geral do Departamento do Ministério do Exterior para as relações com a Europa e pelo Presidente da Universidade Católica Fu Jen, Dr. Vincent Han-Sun Chiang.

Seguiram-se os pronunciamentos da religiosa Beatriz Leung (docente e pesquisadora na Universidade de línguas estrangeiras Wenzhao, das Irmãs Ursulinas), do Padre Jac Kuepers (vice-Presidente para a missão do novo Hospital da Universidade Fu Jen) e do Padre Louis Gendron, Decano da Faculdade de Teologia São Roberto Belarmino, de Nova Taipei.

Os palestrantes trataram de temas como o caminho das relações entre Taiwan e o Vaticano, as estatísticas atuais das atividades católicas no país e uma retrospectiva da missão de evangelização não somente na ilha, mas em todos países e locais onde se fala o chinês.

Na parte da tarde, pronunciou-se o Núncio Apostólico na Austrália, Dom Adolfo Tito Yllana - que renovou a mensagem de colaboração por parte do Papa Francisco, com “o objetivo de construir pontes entre culturas e pessoas de diversas proveniências” – e o Ministro do Exterior David Tawei Lee, que sublinhou a importância de relações voltadas aos crescimento da convivência humana com particular atenção a quem é desfavorecido”.

As atividades do dia foram concluídas com a Celebração Eucarística presidida por Dom Adolfo Tito Yllana.

Em Roma

As celebrações pelo 75° aniversário em Taipei seguiram aquelas realizadas em Roma. Em 5 de outubro, por exemplo, o aniversário foi celebrado na Pontifícia Universidade Urbaniana, na presença do Embaixador de Taiwan Matthew Lee e do Secretário para as Relações com os Estados, Dom Paul Richard Gallagher.

“Valorizamos muito a amizade com a Santa Sé – afirmou o Embaixador Lee - e as nossas ligações são marcadas por uma estreita e crescente amizade que se reflete nos nossos projetos humanitários, nos intercâmbios culturais, nos programas educativos, no diálogo inter-religioso, nas visitas recíprocas, na promoção de conferências católicas internacionais,  iniciativas contra a reciclagem de dinheiros, compromissos contra o tráfico de seres humanos, um papel como “Igreja-ponte” ’[com a China] e a nossa dedicação em proteger o ambiente”.

O Embaixador sublinhou que nas relações com Pequim “nós permanecemos decididos em seguir os seguintes princípios por um pacífico empenho com o Continente: não mudar as nossas promessas, não mudar a nossa boa vontade, nunca dobrar-nos às pressões e não voltar ao velho caminho do confronto [armado]. O nosso propósito não é somente manter a paz na região, mas também encorajar a China a ganhar uma posição como respeitada superpotência”.

Dom Paul Gallagher, por sua vez,  recordou a longa história de colaboração entre a ilha e a Santa Sé, entre “a esfera civil e eclesial em várias áreas da vida social e cultural”, “na área da educação, da pesquisa científica, da promoção cultural, como também em diferentes iniciativas para a cooperação humanitária, muitas vezes desenvolvida em situações de crise”.

O prelado também reiterou “a inutilidade da guerra como forma de resolver as controvérsias internacionais”, citando o Papa Francisco, que recentemente afirmou a importância de “dissociar-se das assim chamadas ‘razões da guerra’”.

E concluiu, assegurando que “a Santa Sé continuará a ser o vosso comprometido parceiro na família dos povos, apoiando cada iniciativa que contribua ao diálogo, promovendo uma verdadeira cultura de encontro e construindo pontes de fraternidade e paz para o bem de todos”. (JE/Asianews)

Fonte: Rádio Vaticano

Search

Arquivo