Documentos

2015 – 43ª AN – DOCUMENTO FINAL

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

43ª ASSEMBLEIA NACIONAL DO MOVIMENTO DE CURSILHOS DE CRISTANDADE DO BRASIL

DOCUMENTO FINAL

Reunidos em sua Assembleia Nacional, em Brodowski-SP, de 5 a 8 de novembro de 2015, os integrantes dos Grupos Executivos Nacional e Regionais, em clima de estudo, reflexão e oração, examinaram a realidade do Movimento de Cursilhos de Cristandade do Brasil, buscando VER os avanços e os desafios da caminhada já trilhada, procurando DISCERNIR à luz da Palavra de Deus e da Igreja os apelos que a mesma realidade faz, e estabelecendo prioridades de AÇÃO para que essa realidade se conforme às exigências do Reino.

Constataram que:

  • Os avanços são maiores ou menores dentro da situação específica de cada realidade.
  • Os desafios estão frequentemente relacionados com a falta de um conhecimento integral do carisma e da finalidade do MCC.
  • Os avanços e os desafios estão ligados ao reto funcionamento das estruturas de serviço, principalmente em âmbito diocesano: GEDs, Setores, Escolas Vivenciais.
  • Os avanços e os desafios dependem, também, da consciência de todos os envolvidos de sua pertença à Igreja.

Compreenderam e assumiram:

  • A necessidade de continuar atentos aos sinais dos tempos.
  • O dever de estar abertos à ação do Espírito Santo, o grande agente de transformação que leva luz às sombras das limitações naturais.
  • A obrigação de ser, em seus ambientes, sinal de Cristo que espera de seus seguidores que sejam “sal da terra e luz do mundo”.
  • A disposição de, como membros de um Movimento eclesial, deixar transparecer em suas palavras e atitudes, a misericórdia infinita de Deus.

Propuseram-se a:

  • Intensificar, através da oração, do estudo e do serviço, a convicção de ser e atuar como Igreja ‘em saída’;
  • Aprofundar a consciência de que, por seu carisma e por sua finalidade, o MCC é essencialmente missionário e expressar isso através de sinais, atitudes e gestos concretos;
  • Desenvolver, na vida diária, concretamente, uma resposta eficaz ao apelo da Igreja de que “a vida cristã se vive nas realidades temporais do mundo” (LG 17), defendendo a dignidade humana como razão do próprio existir.

E entregam a todos os Cursilhistas do Brasil – seus irmãos leigos e leigas, religiosos e religiosas, presbíteros e pastores – este Documento que assumem com a responsabilidade requerida de suas funções e com a certeza de que o Pai que ama, o Filho que redime e o Espírito que inspira lhes darão a necessária força para realizar aquilo que se propõem. E o fazem oferecendo o pouco já realizado perto do muito que ainda há para realizar, pelas mãos amorosas e maternais de Maria, Estrela da Evangelização.

Brodowski, 8 de novembro de 2015.

Para versão em PDF clique aqui